Relacionamento amoroso em crise? Veja o que você deve fazer para melhorar a relação!

Você está em um relacionamento e de repente percebe que as coisas não são como antes? Percebe que o relacionamento está ficando cada vez mais distante? As crises de ciúmes e controle estão tornando a relação insuportável?

A crise é comum em qualquer relacionamento amoroso, mas deve ser gerenciada, pois chega um ponto que, se ambos não tomarem ciência de que está na hora de rever a relação, ela pode acabar.

Segundo Skinner (1953/2003), comportamento social é a interação de duas ou mais pessoas que se comportam de maneira a influenciar o comportamento da outra e juntas modificam o ambiente no qual estão inseridas. Então, segundo essa definição, a relação amorosa é comportamento social.

Por exemplo, se o namorado manda mensagens para o celular da namorada dizendo que a ama, aumenta a chance desta responder à mensagem de forma carinhosa e de sentir felicidade, sentimento produzido pelo comportamento do namorado. A partir dessa ação recíproca, na qual cada parceiro tem sua parcela de responsabilidade, o relacionamento se constrói. No entanto, toda relação é composta tanto de eventos “bons” e “ruins” e a frequência de cada um desses episódios se dará, em grande parte, devido à interação do casal.

O fim de um relacionamento amoroso geralmente é dolorido porque a pessoa deixa de entrar em contato com todas as coisas boas que o outro lhe fornecia e agora experiencia os sentimentos aversivos de “raiva”, de “tristeza” e de “baixa autoestima”, oriundos da perda. Como os sentimentos produzidos pelo fim de um relacionamento são aversivos, a pessoa pode aprender a se comportar de duas maneiras, uma é evitá-los ou eliminá-los a qualquer custo e a outra é, toda vez que ela se relacionar com alguém, aumenta as tentativas de controle e ataques de ciúmes, na tentativa de proteger a relação e não sofrer a dor da perda novamente.

Relacionamento amoroso em crise? Procure Ajuda!

Além das crises de ciúmes e tentativas de controle sobre o outro, outras coisas podem gerar crises no relacionamento, como hábitos diferentes, estresse, objetivos pessoais divergentes, relações familiares como um todo, etc. Muitos fatores podem contribuir para a crise nos relacionamentos. Mas a questão aqui é buscar a solução, então vamos lá!

Não Procrastine

Muitas pessoas quando estão com problemas, acreditam que o tempo resolve por si só os problemas. Nos relacionamentos existe a crença de que “o tempo cura tudo”.

Não! Não Cura! Aliás o tempo não cura nada! O tempo só desvia a atenção do problema para outra coisa, desfocaliza a pessoa do problema. Se você não mudar o seu comportamento diante das situações, nada mudará!

Por exemplo, se você tem uma doença que precisa de tratamento médico, você acha que só o tempo vai curar a doença? É claro que não né, você terá que fazer um tratamento medicamentoso, fazer repouso, etc.

As relações amorosas são como o nosso organismo, se você não cuidar estas relações adoecem. Esperar que as coisas vão se resolver por si só, só adia o problema para o inevitável, o fim da relação.

Portanto, não procrastine seus problemas de relacionamento, se você quer salvar a relação. Procure ajuda, e busque saber o que está errado e precisa ser mudado, caso contrário, você pode estar adoecendo cada vez mais. Leia este artigo que mostra quais são os prejuízos que você pode estar sofrendo por procrastinar os cuidados com a sua saúde emocional.

Leia também!

Aprenda a conversar

Talvez esse seja o maior problema na maioria dos casais, a falta de diálogo. Muitos casais não sabem conversar, sabem discutir, e quando têm um problema, não conseguem expor o que sentem de maneira adequada, sem agressividade.

Outro ponto importante é que, conversar é diferente de impor, ou seja, um diálogo considera as duas partes, identifica e compreende as necessidades próprias e as do outro e tentam manter um equilíbrio entre elas. A imposição é egoísta, pois quem impõe só enxerga as suas necessidades e isso gera conflito.

Relacionamento amoroso em crise? Procure Ajuda!

Adiar uma conversa também é extremamente prejudicial para a saúde da relação. Pequenos conflitos diários que não são resolvidos, pequenos incômodos e problemas que são negligenciados, sentimentos sutis que são deixados de lado devido a ilusão de que “não é nada, isso passa com o tempo!” Tudo isso acumula com o tempo, e quando se resolve “colocar a limpo” coisas, sentimentos e situações que vêm ocorrendo já faz muito tempo, se torna um verdadeiro ringue de luta, mais conhecido como “lavar roupa suja”. Acumular pequenos sentimentos e problemas mal resolvidos é como uma bexiga, vai enchendo, enchendo, enchendo até estourar. E é nessa explosão, quando não dá mais para fazer pouco caso dos problemas é que a crise ou até o rompimento acontece.

Pare de negligenciar os problemas de seu relacionamento! Sente, converse com calma, exponha os seus sentimentos e ouça o que o outro tem a dizer. Esse é o melhor caminho para a saúde da relação.

Entenda que amar não é mandar no outro!

Notamos nos dias de hoje que há uma verdadeira distorção do verbo “amor”. Muitas pessoas acreditam que uma pessoa que ama tem que abrir mão das coisas que gosta por ela, fazer tudo o que ela gosta e estar sempre demostrando esse amor da maneira que ela espera. A consequência disso, é tentar sempre ajustar o outro às nossas necessidades, como uma marionete que possamos controlar de acordo com os nossos caprichos.

“Você não vai sair com seus amigos, você não vai vestir essa roupa, você não pode falar com fulano, porque você não é como aquele casal romântico, etc.

Relacionamento amoroso em crise? Procure Ajuda!

Entenda que você não tem o direito de moldar o outro conforme as suas vontades.

Amar é bem diferente de mandar no outro, e muitas pessoas não entendem isso pois acreditam num amor que não existe, talvez exista na novela, nas propagandas ou nas músicas, mas esse amor é completamente distorcido. Amar e se relacionar com o outro não é mandar e controlar o outro, é compartilhar a vida com o outro.

Entenda que cada pessoa ama a sua maneira

Um grande erro nos relacionamentos é a comparação e a projeção. A comparação ocorre quando a pessoa observa uma outra relação, que na sua percepção é perfeita ou melhor que a sua, e acredita que o outro “deve” amá-la daquela maneira.

Comparar o seu relacionamento com o outro é uma ilusão, pois muitas vezes, a única coisa que você conhece a respeito do relacionamento alheio é o lado bom, não sabe o que acontece na intimidade do casal.

A projeção, segundo Freud, é um mecanismo de defesa psicológico em que determinada pessoa “projeta” seus próprios pensamentos, motivações, desejos e sentimentos indesejáveis numa ou mais pessoas.

Neste caso, uma pessoa acredita que “o verdadeiro amor” tem que ser da maneira como ela acredita que seja certo. Assim, ela espera que o outro ame-a da forma que ela acha que tem que ser, e se o outro não o faz, se decepciona, pois o outro não a ama.

Primeiro, cada pessoa entende o amor da forma que aprendeu, de acordo com a sua história de vida e suas capacidades. Segundo, existe uma grande diferença em “amar” como eu acho que tem que ser o amor, e a forma como o outro consegue amar.

Esperar que o outro nos ame como a gente quer é viver sempre frustrado, pois o verdadeiro amor é aquele que o outro consegue dar, pois é sincero e não forçado.

Esta relação frustrada é o resultado de duas pessoas que esperaram muito, exigiram tudo e ofereceram pouco.

Busque ajuda

Se você está passando por algum tipo de situação que esteja relacionada com o que acabamos de descrever acima, se o seu relacionamento está em crise e você não consegue achar uma solução, busque ajuda profissional. Não procrastine a ajuda se você deseja preservar a sua relação amorosa.

Investir na sua saúde emocional e psicológica pode ser um grande passo!

Tem dúvidas sobre como começar uma terapia?

Estamos aqui para te ajudar! Fale conosco, iremos ouvir você com prazer!

5.00 avg. rating (100% score) - 1 vote
Se gostou deste artigo, curta e compartilhe com os seus amigos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *